MENDOZA (1)

MENDOZA: O QUE FAZER EM TRÊS DIAS. 




     Distante mil quilômetros da capital Buenos Aires, Mendoza é uma cidade que tem seus encantos. Localizada em uma região semi desértica, tem a Cordilheira dos Andes fazendo moldura. Com seus picos nevados e um vulcão em repouso, motivos  suficientes para agradar, ainda não havíamos descoberto o que Mendoza guardava para nos presentear: a gastronomia. Chegamos no final de julho de 2012, época do inverno e com muito frio. Cidade plana, largas avenidas, centro histórico pequeno e povo hospitaleiro, nos encantou de imediato.
     Ficamos no hotel Diplomatic (Belgrado,1041), super bem localizado, próximo a bons restaurantes e do centro da cidade.
O que fizemos em três dias na cidade:
Passeios e Compras -  Mendoza é uma cidade tranqüila, tipica do interior. Pessoas conversando nas praças, músicos, aulas de tango ao ar livre, museus, parques e tudo pode ser conhecido a pé mesmo. Não deixe de provar um café ou chocolate quente nos inúmeros cafés existentes ou até uma boa Quilmes nas movimentadas Avenidas Sarmiento, San Martin ou Belgrado.O comércio fecha às 13h e reabre às 17h. Mendoza ainda é um dos poucos lugares  em que o descanso após o almoço é sagrado e convidativo.

Praça Independência
Calçadão para pedestres
     Definitivamente, Mendoza é muito bom para se comprar vinhos. As opções são várias  e os preços justos. Outras dicas para compras são os shoppings: o Mendoza Plaza Shopping (www.mendozaplazashoppimng.com), a 10 minutos do centro e o Palmares Open Mall na Panamericana 2650. Este segundo é o melhor,lembra muito os shoppings americanos, mas só na aparência.
     O Parque central da cidade, o San Martin, um dois maiores da América, é uma boa pedida. Muita área verde, lago artificial,sete clubes de diferentes modalidades, áreas para caminhadas, bares e restaurantes.    Oportunidade  para um passeio bem tranqüilo.






Parque San Martin

 Restaurantes - Um dos pontos fortes da cidade. Se você está de dieta, melhor esquecer, pois é praticamente impossível não entregar-se a esse pecado. Conhecemos três:

Azafran (Sarmiento 765) - É Excelente. Faça sua reserva previamente (http://www.azafranresto.com). Ambiente leve ,boa música, decoração curiosa, amostras de azeite para todos os gostos e, é claro, uma adega impecável. Usa-se muitas ervas e temperos no preparo de seus deliciosos pratos.
Azeites e condimentos - Restaurante Azafran
Azafran
Adega - Azafran
Entrada- Sopa de abóbora com queijo

Prato Principal- Filé ao molho de abóbora.
     Tudo isso, é claro, com um divino Malbec. Pagamos o equivalente a R$80,00. Voltamos outra vez mas, sem reserva, não ficamos.
Francis Malmann 1884 (Belgrado 1188) - Igualmente Excelente. Faça sua reserva previamente,(francism@nysnet.com.ar ). Reconstruído à partir de um incêndio da Vinícola Escorihuela Gascón em 1884 (dai o nome), Francis Mallmann construiu um restaurante espetacular, tanto pelo ambiente como pela gastronomia. Na chegada ficamos impressionados com os muros altos e o portão imenso, guardado por seguranças e um recepcionista que verifica as reservas. A entrada, por uma grande porta azul e o ambiente inicialmente escuro é até um tanto estranho, mas foi só o início.O restaurante possui uma grande área interna  descoberta que estava ainda mais bonita devido a uma linda lua, mas o frio não estava para romantismo ao ar livre.O jantar, acompanhado do vinho Malbec da Familia Gascon Escurihuela, estava impecável. Pagamos o equivalente a R$ 150,00.



Sobremesa
Restaurante Estância La Florencia  (Sarmiento,698) - Bom. Localizado em uma das esquinas mais movimentadas do centro ,possui também mesas na área externa, porém o frio é que não ajudava. Muito freqüentado, cozinha mais popular, bom atendimento, preço mais em conta que os anteriores.Come-se bem uma autêntica carne argentina.

Passeio pelas bodegas - Não se vai a Mendoza sem fazer um tour pelas vinícolas. São mais de mil, mas pouco mais de cem para visitação. Existem três regiões para se conhecer: Luján de Cuyo (18 km), Maipú (15 km) e Valle de Uco (78 km). Apesar de não ser um Enólogo de carteirinha, admiro e gosto de conhecer sobre vinhos, então optamos por reservar um dia para conhecer as vinículas. Existem excursões de várias formas e gostos. Consiga o Mapa de Bodegas y Ciudad, distribuído gratuitamente nos hotéis. Oferece além dos mapas, telefones ,endereços das bodegas e outras opções. Nunca aluguem com taxistas. Os preços são absurdos. Apesar do GPS cobrir quase todas as áreas que se pretende visitar, alugar um carro não é uma boa por lá, pois, nem mesmo com o GPS você acerta o caminho de volta depois de tanto vinho.O ideal é você contratar um guia exclusivo(mexis).


     Contratamos os serviços excelentes da empresa de Santiago e Ezequiel.(www.santipetenatti@hotmail.com) ou fone 0261-152013115. Cultos, atenciosos e pontuais, iniciamos nosso tour pela manhã, com a intenção de conhecer, degustar e também almoçar em uma vinícola. Por sugestão de Santiago e após contato prévio com as vinícolas, fomos conhecer as bodegas Achaval Ferrer, Catena Zapata, Ruca Malen, Chandon e a Pasrai (uma fabrica de azeite).
 Achaval Ferrer (www.achaval-ferrer.com) - Foi nossa primeira visita bem no início da manhã, com uma temperatura negativaos gramados com uma fina camada de gelo e os andes cobertos pela neve. Fomos recepcionados pelas simpáticas e solícitas guias,  que nos acompanhou em nosso tour. Fizemos um passeio completo pela vinícola desde a colheita da uva ao armazenamentoDepois realizamos a degustação dos vinhos. Inicialmente o Malbec básico da vinicola, o Mendoza. Esse vinho amadurece 9 meses em barril de carvalho e é engarrafado sem filtração, mantendo o caráter da uva. Ótimo vinho e o mais barato. O Quimera é uma combinação de uvas Malbec, Merlot, Cabernet, Cabernet Franc e Petit Verdot. Amadurece doze meses e é considerado um vinho de excelência.O Mirador amadurece 15 meses em barricas de carvalho francês, possui coloração púrpura, quase negro, com sabor cereja ou framboesa, excelente. Finca Bella Vista, com mais de 100 anos de idade, essas uvas são verdadeiros sonhos até para nós, que não somos especialistas na matéria. De coloração escura,concentrada e brilhante, possui aroma de frutas negras. O Finca Altamira é outra jóia da vinícola, uvas Malbec plantadas com mais de 80 anos. Em periódicos especializados (Wine Advocate) esse vinhos possuem notas altíssimas e, apesar de jovem, esta vinícola é considerada uma das melhores do mundo(folheto da vinícola). No final, é claro, você poderá comprar os vinhos que desejar e se levar algum, não paga pelo tour. Levamos um Malbec adocicado, diferente e saboroso (Dolce,2011). Pagamos o equivalente a R$60,00.






     Catena Zapata ( www.catenawines.com) - Tudo nessa Bodega impressiona, desde o longo caminho  até chegar a sede,a própria sede que lembra uma pirâmide asteca e a arrojada arquitetura da parte interna. É tudo feito para impressionar mesmo. Não fizemos um tour pela bodega, mas recomendo, tudo é muito bonito.



Catena Zapata


Interior da Bodega Catena Zapata
Catena Zapata. Eu e Alessandra
     Bodega Ruca Malen (www.bodegarucamalen.com) - Localizada na famosa rota 7, aos pés da Cordilheira dos Andes em Luyan de Cuyo, essa bodega é imperdível. Fizemos a reserva previamente para o almoço e degustação e posso te dizer que é uma verdadeira experiência gastronômica. Inicialmente realizamos um pequeno tour pela bodega, onde pudemos conhecer seu funcionamento e  suas instalações. O melhor ficou para depois: o almoço harmonizado com os melhores vinhos da bodega.



     O local reservado para o almoço era espetacular. Ambiente claro, temperatura ideal, mesa impecável, uma varanda lateral que mais parecia um convite para uma ciesta, os vinhedos e, ao fundo, a bela Cordilheira. Recebemos uma carta explicativa dos pratos com os respectivos vinhos, sensacional.
O Menu é apropriado para cada fase do ano,em nosso caso, foi o Menu degustação inverno.
Acesse www.acmundoa.blogspot.com - mendoza(1).
     Bodega Chandon (www.bodegaschandon.com.ar) -  Localizada em Agrelo, na Rota Nacional, essa bodega é muito bonita e foi a primeira bodega Chandon fora de Paris. A visita dura em torno de uma hora e inicia-se com um vídeo explicativo sobre a história da  Champagne na Franca. Após um breve passeio pelos vinhedos e  caves,  pode-se optar por uma degustação e almoço com os vinhos espumantes.Não fiz (nem aguentaria), mas as recomendações são várias. A área externa muito lembra as varandas francesas, sem esquecer dos grandes jardins.











Pasrai (  www.pasrai.com.ar) - Localizada na região de Maipu,essa é uma fábrica familiar de azeites. Fomos recepcionados por uma simpática guia bilingue que, com muita calma, nos explicou todo o processo para obtenção do azeite, desde a colheita, armazenamento e os tipos de azeite no mercado. No final,é claro, fomos comprar algumas lembrancinhas na loja  anexo a fábrica. Existe desde tomate seco, passas a vários tipos de azeite. É uma visita simples, mas que vale à pena.



     No finalzinho da tarde chegamos em nosso hotel extremamente cansados, cheios de vinho e com boas recordações de nosso passeio. Não é preciso dizer que a programação da noite foi devidamente cancelada ,mas já havia valido à pena.

Passeio pelas Montanhas - Esse passeio de dia inteiro depende muito das condições do clima no dia programado. Após solicitação na recepção do hotel, foi feito contato com a empresa Aymará turismo (-info@aymara.com.ar  ) ao preço de 190 pesos por pessoa, algo em torno de 90 reais. O tour consiste em conhecer as belas montanhas,os andes, antigos glaciares, as belas estradas e, finalmente chegar a fronteira com o Chile. Fica para outro post.
Cidade pacada, com belas paisagens que vale uma visita, principalmente para quem admira um bom vinho.



















































Comente com o Facebook: