Para quem conhece o Centro Histórico de Olinda, em Pernambuco, o restaurante Beijupirá é uma excelente opção. Localizado em uma das inúmeras ladeiras de Olinda, o acesso ao restaurante é, no mínimo, interessante, pois fica dentro de uma área verde belíssima, de onde se extrai uma panorâmica da cidade, de tirar o fôlego. O mesmo pode ser realizado através de um bondinho ou via escada mesmo. O casario e os coqueiros da Cidade Alta, também complementam o que já seria desnecessário, para tão aconchegante espaço.
O Beijupirá nasceu em Porto de Galinhas, em 1991, onde já tivemos o prazer de conhecê-lo. Sua culinária representa a "mixira" (em tupi,  mistura). Os frutos do mar são o carro chefe do cardápio.
O restaurante possui decoração clean, ambiente climatizado, área externa no mezanino e varanda no ambiente superior, mesa com menção ao cardápio (reparem no detalhe do porta talher, em formato de peixinho, uma graça! Os atendentes em número suficiente e atenciosos, além de uma agradável música ambiente, diferenciam o local.




Pedimos um "Camarão dos Carneiros" que consiste em camarões em cama de molho gorgonzola, servido com arroz de goiaba e bacon crocante. Fantástico! Existe opção para servir individualmente ou para duas pessoas.


Como sobremesa, fomos de "Cartola -PE", simples e perfeita.


Sem dúvida, uma excelente opção na cidade. Vale uma paradinha!

Localização: Rua Saldanha Marinho, s/n - Amparo. Olinda PE. Fone- 81 97341144.

AS CABANAS DA HIGHWAY 93 
Depois de percorrer os quase 300 km que separam Banff de Jasper, nas Montanhas Canadenses, a idéia era ficar hospedado em um lugar aos pés das montanhas e no meio da floresta. Encontramos esse pequeno paraíso para uma noite, que chama-se Sunwapta Falls Rocky Mountain Lodge. Reservamos pelo Booking (www.booking.com). São 53 quartos a optar.  Quarto duplo, quarto Lodge e quarto Esconderijo. Pagamos o equivalente a 250 reais ,a diária.
O totem colorido e a carruagem de faroeste nos dava as boas-vindas. A sala, que também funciona como um pequeno shopping, estava cheia de pessoas para comprar souvenirs ou reservar os passeios. As opções são várias, desde passeios de bicicleta, visitar cachoeiras (Suwapta Falls), pesca e caminhadas.
Já era noite e fomos direto à pequena cabana embaixo dos pinheiros. O lugar era muito bonito e aconchegante. A cabana de madeira com aquecedor, uma pequena varanda, cama de casal, internet livre e todas as regalias que poderíamos desejar. Saímos apenas para tirar a foto da lua iluminando os picos brancos das Rocky Mountains. Como era vinte e três de setembro, ainda tive a felicidade de receber um pequeno bolo de aniversário no quarto. Perfeito.
Acordamos cedo, programamos o GPS e saímos das lindas Montanhas do Canadá e fomos à Sun Peaks, caminho para Vancouver, quase 500 km adiante.

Alessandra- Apto 7B

O Museu da Imagem e do Som foi criado em 1981,  pelo teatrólogo Bráulio Leite Junior e faz parte do Patrimônio Cultural do Estado de Alagoas. Instalado em um prédio histórico de 1869, onde antes sediou o Consulado Provincial, é uma das atrações do bairro de Jaraguá. O estilo neoclássico do prédio traduz uma atração à parte.
O museu possui três setores específicos, divididos em memória, pesquisa e produção. Ao entrar, observa-se um grande espaço, onde são realizadas as exposições temporárias. Sugiro começar a visita pela sala do lado direito, onde é exposto o acervo documental e fotográfico. Impossível não ficar maravilhado com a quantidade de material para pesquisa. São máquinas de datilografia, celulares, filmadoras, computadores, telefones, rádios, fotos e documentos. Tudo catalogado e muito bem cuidado.


Um dos maiores monumentos de Paris é o Arco do Triunfo ou Arc de Triomphe. É praticamente impossível ir a Paris e não conhecer esse imponente monumento. Napoleão prometeu aos seus homens, que após a batalha de Austerlitz (1805), eles "voltariam para casa sob arcos triunfais" e assim cumpriu, mesmo com algum atraso. Demorou trinta anos para conclusão da obra. Com cinquenta metros de altura, o monumento impressiona sob qualquer ângulo. O arco é trabalhado com relevos, esculturas magníficas e listas das batalhas vitoriosas de Napoleão. São descritas cento e vinte e oito batalhas e os nomes de quinhentos e cinquenta e oito generais.




Já fazia um tempo que não ia passear em Campina Grande. Desta vez, fui surpreendido por essa obra lindíssima, do genial Oscar Niemayer, o Museu de Arte Popular da Paraiba (MAPP). Relativamente nova, a mesma possui três edificações cilíndricas suspensas, uma delas sobre as águas do "Açude Velho", impressionam inicialmente pela beleza. Realmente, um projeto arrojado.
Mantido pela Universidade Estadual da Paraíba, o MAPP tem como objetivo preservar e difundir a música, as artes manuais, a literatura de cordel, a xilogravura e a cantoria do nordeste e, em especial, da Paraíba.