No carnaval de 2019, animados com a possibilidade de reunirmos nossas crianças, pais e amigos,  programamos nossas férias juntos e, rumo ao Caribe, partimos. Escolhemos o MSC Seaside. Deixaremos aqui nossas impressões.

CHECK IN E CHECK OUT

A entrada no navio foi organizada, super rápida, apesar da fila que se formava para nossa categoria (Bella) e, também, eficaz. Foi solicitado, na oportunidade, apenas o passaporte (com visto americano válido) e, após preenchimento dos dados e uma foto, nos foi ofertado um cartão para identificação, entradas e movimentação financeira dentro do navio. Guardá-lo sob segurança (de preferência em um crachá) ou trocá-lo por um bracelete é uma regra (deixamos para fazer isso no final do primeiro dia e já não havia disponibilidade para nossa classe, nem sob pagamento). Esse meio de identificação é, inclusive, usado ao sair e entrar do navio nos pontos de parada, junto ao passaporte.
A saída do navio é  organizada por cores que identificam os horários de cada grupo e as malas são identificadas por etiquetas, entregues previamente (véspera do desembarque), nas cabines. Também classificamos esse passo como organizado e eficaz. Não nos causou transtorno algum.
O certificado de vacina contra febre amarela não foi solicitado na imigração, mas na realidade, é requisito básico .



No nosso retorno de Orlando para Miami, estava no roteiro conhecer o famoso Kennedy Space Center, em Cabo Canaveral. O passeio era aguardado com bastante ansiedade, afinal, conhecer a base de lançamentos de foguetes americana era um sonho de todos, adultos e crianças. 
Inaugurado em 1962, o espaço é gigantesco e as visitas foram possíveis a partir de 1967.
O ingresso estava disponível para ser adquirido diretamente no caixa ou em máquinas, na entrada. Veja valores atualizados aqui.
O ideal é fazer o passeio  com um áudio ( tem em português ) e obter também um mapa, para orientação no mesmo. Uma opção interessante é o KSC Smart Guide,  dispositivo com mapas, fotos e áudio com disponibilidade para língua portuguesa.


Atualizado em fevereiro de 2019

Desta vez voltamos à Orlando (EUA), com toda a família. Bruno , Maria Eduarda , Gabriela  , Alexandre, eu e Alessandra. Para viagem com duas crianças e dois adolescentes é fundamental um planejamento, com o objetivo de satisfazer a todos. Programamos com seis meses de antecedência e estudamos o roteiro  através de revistas especializadas, blogs, sites e colhendo informações dos amigos que já viveram esta experiência.Viajamos entre os dias 20 e 30 de maio de 2013. Voamos American Airlines de São Paulo, com destino Miami e ,após, conexão para Orlando .Acaba sendo um vôo longo e cansativo.


Em dezembro de 2018 embarcamos de Lisboa com destino a Paris, para passar o Réveillon na "Cidade Luz". Dia 28 chegamos ao Aeroporto de Orly, o mais próximo da cidade. Viajamos com nossos pequenos de 10 e 11 anos. Estávamos em um final de tarde nublado e bastante frio, contudo o desejo de mostrar Paris as crianças nos mantinha firmes. Nosso transfer já nos aguardava. Uma senhora carioca, bem simpática e falante. Tudo organizado pela Transamerica Turismo em seu roteiro “Réveillon na Europa”.




Em janeiro fomos conhecer o comentado restaurante Aratu, do renomado Chef Paulo Quintella, em Marechal Deodoro, Alagoas.
O restaurante divide área comum com o Bar da Crôa e agrada desde a recepção. Uma grande área verde, com muitos coqueiros, bangalôs de palha e a vista magistral da Lagoa Manguaba. Um espaço  bastante aconchegante, com sofá em forma de canoa, revistas e algumas flores.