MENDOZA(2) - UM PASSEIO ÀS MONTANHAS


MENDOZA, UM PASSEIO ÀS MONTANHAS

Mendoza, na Argentina, além dos bons vinhos tem boas opções de passeios de aventura. Um deles é uma aventura nas montanhas até a fronteira com o Chile. Reservamos com a Aymará Turismo , ao custo de 190 pesos por pessoa (aproximadamente R$90,00). O passeio é de um dia inteiro e as refeições não estão incluídas.  Na hora combinada a Van chegou no hotel. Éramos doze pessoas, todos da América do Sul. O guia, bem simpático e culto, passou as informações sobre a cidade de Mendoza e seguimos pela Rota Nacional 7 para a Cordilheira dos Andes, nosso tão desejado destino.




O tempo ajudou bastante, ensolarado e  pouco  frio. Os pontos de parada  seriam:Potrerillos, Uspallata Valley, Los Penitentes, Puente de Incas, Aconcagua Mirador e Las Cuervas.
Potrerillos-  Nossa primeira parada foi no "dique" que abastece a cidade de Mendoza. Localizado a 63 km de Mendonza, este lago formado pelo rio Mendoza é muito importante para a cidade, pois regula a entrada de água, não esquecendo que Mendoza fica praticamente em um deserto. Muitas   famílias se divertem próximo ao lago, seja fazendo churrasco ou praticando esportes náuticos.





Uspallata Valley - É a maior cidade entre Mendoza e a fronteira. Álamos e salgueiros são paisagens freqüentes nesta região. O que impressiona é a paisagem seca, com verdadeiros paredões de pedra, onde antes eram as geleiras imensas. A vida aqui era muito intensa no passado. O rio Mendoza permanece em determinadas regiões apenas com um pequeno fluxo, bem lento.Nas enchentes do inverno são praticados esportes radicais na região, tais como rafting e descida de caiaque (0261)4295030.






Los Penitentes- Localizado a 167 km de Mendoza, é uma das mais visitadas estações de esqui da Argentina. O vilarejo possui muitos resorts de esqui na alta estação, entre junho e agosto.  No total, são 26 pistas para amadores e profissionais. A neve era escassa e ficamos apenas o suficiente para algumas fotos.





Puente de Incas - Local curioso e muito bonito, a 175 km de Mendoza, no departamento de Las Heras e a 2.720 metros acima do nível do mar. A Ponte dos Incas é um fenômeno natural provocado pela penetração do rio Las Cuevas nas rochas. Embaixo da ponte existia um pequeno prédio onde funcionava as termas, com sauna e banho quente de um hotel criado logo ao lado .Os compostos biominerais das rochas dão a cor avermelhada e alaranjadas, características do lugar. Os Incas utilizavam este local antes da conquista das Américas.


Ponte Inca



Antigas Termas

No local existe um mercado de artesanato, com uma grande variedade de opções, a um preço razoável, mas vale pechinchar um pouco. O cemitério dos escaladores, que morreram ao tentar escalar o Aconcágua, fica nesta região.Vimos ao passar pela estrada, bastante discreto e silencioso.


Em 1925 foi construído um hotel de luxo na região, porém, em 1965, uma avalanche destruiu tudo, deixando apenas ruínas (ver abaixo) e uma pequena capela, onde ainda são realizadas missas para os habitantes locais.



Aconcagua Mirador- Vimos o temido Aconcágua bem de longe. Com 6.962 metros de altitude, é uma das mais altas montanhas do mundo. É a preferida pelos alpinistas iniciantes, pois sua subida não é tão difícil, se comparada com outros picos famosos. Pela rota noroeste chega-se mais rápido ao "Teto das Américas",  mas a presença de um guia é imprescindível. O Parque Aconcágua está a 185km a oeste de Mendoza . Aberto de 8 às 18 horas, diariamente.



Las cuervas - A 3.200 metros de altitude, chegamos à fronteira com o Chile. Nesse ponto o vento estava forte, o que piorava a sensação térmica, mas ainda assim  não deixamos de explorar a neve,caminhando um pouco e observando os poucos esquiadores locais. Estrategicamente construída próximo à fronteira, esta construção em estilo europeu oferece condições mínimas para uma parada. Um restaurante bem precário no primeiro andar, serviços de banho pagos e, para quem   deseja apenas relaxar um pouco, existe uma pequena sala no térreo, com um único sofá bastante disputado. Existe um Hostel no local, que na ocasião estava fechado.






Perto de Las Cuervas está a estátua do Cristo Redentor . Foi erguida a 4.200 metros de altura, em homenagem à assinatura de um acordo de paz entre Argentina e Chile, por causa de uma disputa na região da fronteira. Carros têm acesso ao Cristo, porém só nos meses de janeiro a março, devido as fortes nevascas dos outros meses.
As rotas do General San Martin (herói nacional) fazem parte do turismo histórico da região .





Retornamos à Mendoza no final da tarde, sem paradas, ao som das lindas músicas andinas . O cansaço havia tomado conta de todos. Alguns dormiam e outros apenas observavam os picos nevados da Cordilheira, talvez pensando nas incríveis histórias desde lugar, que ao mesmo tempo que é belo, possui um ar de mistério e de desafio. É um passeio inesquecível.

Comente com o Facebook: